quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Fim de ano

Hoje, no final do dia, rolou um papo "fim de ano" na HBO.
2008 está sendo intenso... eu achava que era só uma impressão minha, mas descobri que é de todas. Algumas de nós (estávamos só entre mulheres!) estavam rezando para o ano acabar, porque coisas ruins aconteceram. Daí eu comecei a falar um pouco de como eu sempre tento ver coisas boas entre as ruins. Eu realmente tenho uma tendência ao otimismo no meio do meu drama
Não que esse ano tenha sido ruim, pelo contrário, meu 2008 está intensamente maravilhoso!
Mas nos meus piores momentos, eu sempre mantive a fé de tudo acabaria bem e me conformei acreditando de que tudo aquilo que estava acontecendo comigo era uma lição de vida para eu me tornar melhor.
Pensando nisso, fui buscar um crônica que eu escrevi no final de 2005. Foi a minha mensagem de fim de ano para meus amigos e minha família. Quem me conhece, sabe que 2005 foi um ano terrível para mim, quando as coisas que eu mais temia aconteceram.
E esta é, na íntegra, sem nenhuma alteração, a minha mensagem.
Repito: tudo dá certo no final! E eu sou sim uma pessoa melhor hoje... em muitos sentidos.


2005…

O que dizer? A primeira coisa que vem a minha cabeça é: Graças a Deus que está acabando.

Sério mesmo.

Já me disseram para não desdenhar. Mas não é isso. Nunca tive um ano tão difícil, tão cheio de baixos. Nunca tive perdas tão grandes, tão próximas uma das outras. Aliás, acho que nunca tive perdas na vida. E talvez tenha sido este o plano do destino pra mim: fazer com que eu aprenda a perder. E a seguir em frente.

Hoje, ainda não estou pronta para olhar pra trás, para sair de 2005 com tudo bem resolvido. Mas estou pronta para prestar atenção no meu presente e olhar para meu futuro. Para ter uma nova perspectiva e um novo modo de encarar a vida. Para começar 2006 com uma energia enorme, contagiante, que quase nem cabe no meu corpo. Estou louca para me apaixonar de novo. Estou louca para retomar meus sonhos. E mais louca ainda para realizá-los. Mas o melhor é que estou sem medo do que me aguarda. Porque aprendi a cair e a levantar de novo. Aprendi que sou mais forte do que imaginava. E aprendi que sou muito mais querida do que sonhava.

Nunca tinha me dado conta de quantos amigos eu tenho, e de como todos eles são preciosos para mim. Nestes últimos meses, tive ombros, colos e ouvidos que foram fundamentais para superar minha dor. Acho que estreitei laços com amigos que já eram muito queridos, mas que hoje são essenciais na minha vida, e de quem eu não vou abrir mão de jeito nenhum. Também revi amigos que há muito tempo não tinha contato. E conheci novas pessoas que surgiram como um presente nos últimos tempos. Hoje, só tenho tristeza e pena daqueles que decidiram não me ter por perto.

Mas a vida é assim. Tem pessoas que vão fazer parte da nossa vida só por um tempo determinado, e que se tornarão apenas uma boa lembrança. E há outras que estarão sempre do nosso lado, nesses altos e baixos.

Graças a todos vocês, meus amigos que eu amo muito, muito, muito, estou deixando 2005 de cabeça erguida, em pé, leve e fortalecida, para encarar 2006, 2007, 2008, e os anos e anos que tenho pela frente com muita força e vontade de viver. Acredito que a vida me reserva grandes e boas surpresas. Tenho certeza de que vocês estarão presentes em todas elas. Depois de chorar tanto ao meu lado, vocês merecem que eu os faça rir um pouquinho.

2006 está ai, e pretendo fazer dele um grande ano. Muito obrigado por me darem essa energia. Tentarei retribuir o máximo possível.

Feliz Natal. E que 2006 seja do caralho! 
Amo todos vocês.
Um beijo enorme, Patti Pahl

2 comentários:

Aline Lacerda disse...

"this year I got my heart broken
My fears awoken
My beliefs shaken
And my dignity taken
But am I wrong to assume that the world is absurd
When religion comes first and knowledge comes third"

Thomas Dybdahl - This Year

Não vejo a hora de acabar também... E posso dizer que você superou muito bem o ano 2005 e está com tudo! Pode ter certeza. Eu que te conheci depois disso não diria nunca que você teve "bad hair year"

2009, pelo amor de Deus, chega logo!

Ledesma disse...

Nunca esqueci tua terrivelmente bela crônica 2005.
Concordo contigo: no final sempre dá certo. Sempre.
Me aconteceram coisas terríveis nesse ano e outras incríveis. E são só nessas que vou pensar quando 2008 for passado. Só nessas.

Segue algo sobre o tema que adoraria que fosse meu, mas é do Lucio Cardoso:

"A vida refloresce em mim, como no fundo de um velho tronco causticado pela tempestade, brotam algumas folhas macias e novas, nascidas de alguma raiz poupada entre os destroços"